Livro-electrónico: o conceito

A partir desta página poderá consultar e proceder ao "download" de alguns livros electrónicos. Todavia, conceito de e-livro é recente e está ainda envolto em alguma neblina. As questões que rodeiam esta entidade nova são complexas e necessitam de clarificação:
O que é um "livro electrónico"?
Verifica-se coexistência ou competição com o livro "tradicional"?
Que formato(s) normaliza(m) a sua divulgação?
Para lá do computador, que outros aparelhos viabilizam a sua leitura?
E o "papel electrónico", que função irá desempenhar no futuro próximo?

Sem pretender ser exaustiva, esta primeira lista de questões enuncia algumas das indefinições que afligem o conceito, tanto ao nível da forma, como do conteúdo. A insustentável leveza das tecnologias que pretendem viabilizar e, simultaneamente, dominar o mercado global dos livros electrónicos, desencadeou uma vasta guerra comercial nos domínios das máquinas, dos programas e das marcas que operacionalizam o novo suporte. Nessa guerra de índole tecnológica seremos todos espectadores, mais ou menos passivos. É cedo para qualquer um dos contendores clamar vitória e creio que neste como em outros domínios se irá assistir a um sincretismo de formatos com predominância de duas ou três marcas. 

Seja como for, essa não será a preocupação primeira do Autor. O essencial dos livros electrónicos - ou seja a escrita - deverá estar preparada para migrar em modo agnóstico para o contentor que a quiser transportar, salvaguardando a sua essência mais preciosa - o conteúdo. Todavia, entre a ciberliteratura e os livros electrónicos actualmente disponíveis na rede das redes desenha-se uma fronteira perceptível. A esmagadora maioria dos livros electrónicos são obras que já existiam sobre o suporte papel e que migraram para a Internet. As obras originais, que se filiam no campo da ciberliteratura são ainda relativamente raras e obedecem a uma gramática, uma estilística, uma retórica e uma pragmática nova, em vias de desenvolvimento e de afirmação. 
Esta não é, porém, uma moda passageira, que se esfumará quando o cata-vento inverter a direcção. Tanto a ciberliteratura, como os livros electrónicos, são entidades conscientes e recordar a muito citada frase "et pur si muove", de Galileu Galilei, é tão somente uma questão de profissão de fé no devir.